Koh Chang, Thailand

Tinha programado alguns dias de descanso antes de iniciar minha “jornada” e em minha mente isso seria perfeito com sun, sand and sea (sol, areia e mar), ou seja, praia!

Queria ter ido inicialmente para a região do mar de Andaman na Tailândia (Phuket, Krabi, etc), porém deixei para comprar os tickets muito em cima da hora e já estavam caros (e é muito longe para ir de ônibus de Bangkok), então acabei escolhendo Koh Chang, que li em vários blogs dizendo que era um lugar lindo etc e por sua vez, estaria perto da fronteira com o Camboja, meu próximo destino.

Sai de Bagkok com um ônibus público (muito bom por sinal) a passagem custou 275 Baht (R$ 20,00) e após umas 5 horas de estrada o motorista nos largou no pier para pegar a balsa para Koh Chang. Sim, Koh significa ilha e esta é a 2o maior ilha da Tailândia. Changando no pier uma chuva tenebrosa estava caindo, o que não é o clima ideal para pegar uma balsa no Golfo da Tailândia, certo? Graças a Deus, depois de esperar mais ou menos 1 hora o tempo melhorou e lá fomos nós na balsa. Após 45 minutos, desembarcamos na ilha.

DSC_1892

DSC_1893 Chegando na ilha

 

Já tinha feito reserva em um dos poucos hostels de lá e sabia que teria que pegar um “taxi” para chegar até lá. Os taxis de lá são pick-ups onde eles levam várias pessoas ao mesmo tempo (já tinha usado algo assim no norte da Tailândia em Chiang Mai), quando chegamos então, eu e mais os outros 4 turistas, mais uma thai, negociamos para o motorista nos deixar em nossos destinos, a negociação foi dura, pois ele queria esperar a próxima balsa, isso já era por volta de 17h, sendo que saímos de viagem as 9 da manhã, ou seja, já estacamos todos muito cansados. Enfim, conseguimos negociar, mas eu tive que pagar mais que todos, pois meu hotel, supostamente era o mais longe. E sim, era! Era no sul da ilha na praia de Bagbao, e do pier até lá demorou algo como 1 hora! Em uma estrada cheia de curvas e montanhas, o que não foi muito confortável.

Bom, resumindo, agora é a época de monções no Sudeste asiático, isso significa: chuvas. Eu cometi um erro básico em não verificar a previsão do tempo e desde que cheguei no pier na ida, até o momento da volta, não parou de chover! Ou seja, meus planos de curtir uma praia paradisíaca foram por chuva abaixo 😦

DSC_1898

O amigo que encontrei na Public Beach

DCIM161GOPRO

Lonely Beach

Nisso acabei encurtando minha estadia na ilha, pois além de não poder curtir o que tinha planejado, lá é muito difícil de se locomover e caro! A não ser que você alugue uma moto, o que não é o meu caro (por enquanto). Fora o fato de que eu estava quase que na última praia, longe de tudo. Então acabei ficando só 2 noites na ilha então na manhã de domingo dia 15/06 comecei outra peregrinação, desta vez rumo ao Camboja (tema do próximo post).

A ilha é muito bonita de fato, com muito verde e praias lindas. Tem uma vibe meio hippie e imagino que na alta temporada deva lotar de gente. Consegui caminhar um pouco fui até a public beach, que era a mais próxima do meu hostel (uns 20 min caminhando) e fui à lonely beach, uma das mais famosas. A água estava até quentinha, porém com aquele clima nublado, não tive vontade de me aventurar.

DSC_1902

Mango Lassi. Essa é uma bebida típica indiana que tomei em Lonely Beach, uma delícia!

Pelo que vi existem tours de barco para passar o dia fazendo snorkeling etc, o que teria sido muito divertido.

O hostel que fiquei chama Asia’s Backpacker e reservei o dormitório feminino, porém como é baixa temporada tive o quarto só pra mim 🙂

Porém uma coisa triste que vi é que por ser uma ilha, eles enfrentam dificuldade em gerenciar o lixo e por vezes caminhando, existem concentrações de lixo em diversas partes da ilha. Inclusive perto dos rios e do mar, muito triste ver uma ilha tão linda, cheia de verde, porém cheia de lixo.

DSC_1908

Aqui tinha um riacho, cheio de lixo e mais ao fundo é possível ver a pilha de sacos de lixo.

DSC_1896

A praia!

Apesar de tudo não me arrependo de ter ido, porém se eu tivesse verificado a previsão do tempo teria escolhido não ir, uma vez que é um local de difícil acesso e a não ser que esteja sol, não há muito o que fazer.

See ya!

F.