Inle Lake, Myanmar

Continuo atrasadas com meus posts sobre Myanmar :/ mas vamos lá, antes tarde do que nunca 🙂

Sai de Yangon, por onde cheguei no país e fui para a região do lago Inle, o mais famoso do país e um dos principais destinos turísticos. Eu não sabia muito o que esperar, porém gostei e acho que vale a visita. Em dois dias você consegue ver tudo e mais um pouco, porém acabei ficando 3 dias para descansar mesmo.

Cheguei de Yangon, ainda era madrugada, e apesar de não ter onde ficar, tinha anotado o nome de uma pousada e foi pra lá que eu fui. Chegando lá eles acordaram prontamente, apesar de ser 5 da manhã e nos receberam (estava eu e um alemão que tinha ficado no mesmo hostel que eu em Yangon). A pousada era super barato, paguei 10 dólares para um quarto privado, com banheiro próprio e café da manhã! O lugar chama Diamond Star e super recomendo, fora que o próprio gerente do hostel foi que nos ajudou a organizar nosso passeio pelo lago e outras coisas mais, sempre com um preço super honesto.

Neste primeiro dia que chegamos decidimos alugar uma bicicleta para contornar parte do lago. O lago é enorme, então pedalamos até uma parte, ao longo do caminhos fomos parando em alguns templos até que chegamos a um vilarejo e pagamos um barco para cruzar o lago para o outro lado (levando nossas bikes junto). Em seguida continuamos pedalando até voltar para a cidade que estávamos, no caminho passamos por um monastério que fica no alto de um monte (para isso pagamos para uns motoqueiros nos levarem até lá no alto).

O caminho por onde pedalamos

O caminho por onde pedalamos

Nossas bikes sendo transportadas

Nossas bikes sendo transportadas

Lá no monasterio um dos monges tirando um cochilo :)

Lá no monasterio um dos monges tirando um cochilo 🙂

A paisagem linda ao longo do caminho

A paisagem linda ao longo do caminho

Ah vale dizer que as hospedagens mais baratas ficam em Nyaungshwe. A região do lago é formada por esta cidade e uma outra, porém em Nyaungshwe existem algumas boas opções de hospedagem e alimentação. Comemos um curry à la estilo de Myanmar que era muito bom.

No dia seguinte fizemos o passeio pelo lago, saímos pela manhã e voltamos após o almoço. O lago é lindo e existem várias vilas flutuantes e casas de palafitas no local, é algo bem diferente de se ver, porém já se tornou bastante turístico. Ao longo deste passeio, esta inclusivo conhecer vários workshops diferentes, que inclui também a venda de artesanato.

Começamos inicialmente visitando o floating market, onde concentra-se todos artesanatos que você verá sendo vendido pelo país, com algumas coisas até que interessantes, porém é muito do mesmo. No fim do passeio já não agüentávamos mais ver as mesmas coisas, porém ainda assim indico o passeio. Coloco algumas fotos:

Alguns dos produtos vendidos

Alguns dos produtos vendidos

SAMSUNG CSC SAMSUNG CSC

Povo lindo!

Povo lindo!

SAMSUNG CSC

Fazendo charuto

Fazendo charuto

Por fim no meu terceiro dia, resolvi experimentar uma massagem burmese (típica do país) porém foi péssima :/ talvez eu não tenha tido sorte com o massagista, mas ainda prefiro a tailandesa e a balinesa 🙂 Após este dia peguei o ônibus noturno em direção a Bagan, que fica para o próximo post.

Cheers,

F. ❤